quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Dia do Professor - NÓS, OS QUE FICAMOS


Esta tem sido a semana da educação na faculdade. Eu estou meio por fora da organização, mas está muito boa e bem organizada.

Terça, tivemos a presença de um poeta-escritor e Professor relevante, o Rodrigo Ciríaco. Professor de uma escola publica, ele faz um trabalho muito excelente com jovens da periferia da zona leste (foi o que eu entendi). Já publicou um livro com contos e poemas, de forma engraçada, séria e espontanea ele tem relatado suas experiencias com esse grupo.

Nos presenteando com uma palestra impactante, confrontante e transformadora, contamos com sua presença nos falando sobre sua ação como professor, a realidade e o contexto social desse grupo. Foi muito bom o que o pessoal da facul me falaram depois.

Em seu livro, li um poema que expressa o que tenho vivido em minha escolha profissional. Não vivo o contexto de escola pública, porém percebo que uma equipe de educadores passam pelas mesmas pressões, sejam dentro de casa ou fora. O texto é simplesmente uma licença poética dos utlimos capítulos que vivi aqui na escola...

Vou muito publicar aqui o poema, caso tenha algum problema de direitos autorais, eu retiro.




Nós, os que ficamos

Alguns me perguntam: ta, o que vocês vão fazer?
Estamos descobrindo.
A única certeza é, vamos ficar.
Nós, os que ficamos, somos a única chance de salvar este lugar.
Do desespero. Da ruína.
Do abandono. Do comum.
Não culpamos quem partiu.
Foi uma opção?
Culpamos quem nos abandonou.
Por isso é preciso ficar.
Quando as coisas apertam, quando temos dificuldades, não podemos simplesmente nos mudar.
Abandonar nossa memória, nossa trajetória, nossos amigos e mudar.
Desistir.
Fazer outro caminho e desistir.
Nem sempre abrir mão é o melhor, o mais fácil.
Nem sempre o mais fácil é o melhor.
O mais correto.
Principalmente quando nos resta uma pergunta: e os que ficam?
Não podemos deixá-los.
Convites, propostas não faltam. Argumentos são duros.
Muitos. Principalmente quando vem de dentro de casa.
- É isso o que você quer pro futuro do seu filho? Abandonado por tiranos, nas mãos de
carrascos? É isso que você quer de salário? Você tem medo de mudar.
Muitas horas fraquejamos.
Quase nos damos por vencidos e, está bem. Vamos mudar.
Mas aí pensamos: poxa, não é isso que queremos.
Não é isso que queremos para nossos irmãos, primos, amigos.
Não é isso que queremos para ninguém.
Por isso é preciso ficar.
Para brigar, confrontar, sangrar.
Somar, transformar.
Unir.
Para que nenhum de nos continue sendo humilhado.
Nenhum de nós desprezado, desrespeitado.
Esquecido.
Ficar.
Não queremos nos mudar do lugar onde sobrevivemos.
Queremos mudá-lo.
Torná-lo mais bonito, mais solidário.
Mais forte. Mais humano.
Nós, os que ficamos.
Somos muito importantes.
Nós, os que ficamos, somos a única chance.
De mostrar o quanto estamos vivos, pulsantes.
Até para dizer: NÃO!
Nós não sairemos daqui!

(Rodrigo Ciríaco – Te pego lá fora)

Visitem o blog do professor, http://www.efeito-colateral.blogspot.com/, seu trabalho com jovens de uma escola publica da zona leste é muito interessante.

Um comentário:

Pastoragente disse...

Graça e paz!
Andando por Blogs cristãos cheguei até o seu e quero te parabenizar pela bênção que pude ver aqui.
Já estou te seguindo e aos poucos venho conhecer mais os seus textos.
Será uma honra te receber no pastoragente.blogspot.com, e se quiser segui-lo vai ser uma alegria pra mim.
No blog conto da forma mais realista e divertida possível as realidades, dúvidas e experiências de uma simples pastora como eu.
Fique na paz. Um abraço.