quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Pais que abençoam

Esses dias tenho refletido muito sobre o ato de abençoar. Pais, professores, lideres, pastores, autoridades que abençoam né.

Vi uma situação em que um líder orientou seu liderado assim: "Abençoe, ore por eles". Quando dei por mim, os pais estavam agindo de forma coniventes com os erros de seus filhos acreditando sinceramente que estavam "abençoando-os".

Comecei a refletir sobre minhas atitudes com meus alunos. Quando preciso corrigi-los, exortá-los, apontar uma direção diferente a que estavam tomando e comecei a entender que não há melhor forma de abençoarmos quem amamos quando os corrigimos, quando ajudamos a entender o que está de errado e auxilia-los a mudarem de atitude.

Para pais e mães as vezes pode até ser mais fácil dizer um "amém" para as vontades superficiais de seus filhos ao invés de ensinar-lhes princípios e fundamentos que levariam seus filhos a entenderem o que é certo ou errado.

Corrigir dói. Em quem é corrigido, mas principalmente em quem corrige. Corrigir não é bom. É cansativo, não há louvor, precisa de tempo, amor, paciência, renuncia e sem falar que é muito trabalhoso.

Mas não podemos esquecer que corrigir é uma atitude de amor, de dedicação ao outro, de serviço.

Meu pai tem sido um grande exemplo-vivo de pai que ama. Ele me corrige quando erro e nunca deixa de demonstrar seu amor por mim nem mesmo nas horas das minhas maiores mancadas.

Sua correção, desde a minha infancia sempre foi vinculada com o sentimento de amor que ele tinha por mim e eu por ele. Lembro-me de como eu e minhas irmãs nos sentiamos mal, muito angustiada quando minha mãe dava o ultimato de que "quando seu pai chegar vocês vão conversar com ele".

Nossa angustia não era por causa da possível surra que levaríamos ou de um castigo passaríamos. Mas era uma angustia, uma tristeza sincera de ter decepcionado o homem da nossa vida, de não sermos tudo o que ele era para nós.

Poucas foram as vezes que ele precisou bater na gente (e olha que a gente aprontava heim). Mas sempre nos corrigiu com palavras e principalmente ATITUDES. Ações que nos faziam confiar cada vez mais nele, de querer ser parecidas cada vez mais com ele, de querer estar sempre com ele.

Meu pai me abençoa muito. Sempre. E hoje percebi que tesouro recebi durante essa minha vida, que foi a correção, a disciplina que recebi de meus pais. Esse é um grande tesouro, um grande presente, a forma em que mais compreendo o amor deles por mim.

Se você que é PAI ou MÃE e quer abençoar seu filho... corrija-o.
Não permita que eles permaneçam no erro, no engano, ajude-os a entender e compreender a si mesmo e reconhecer o amor de Deus em suas vidas.
Permita que tu sejas uma benção para seus filhos. Permita ser um exemplo que eles admiram e respeitam.
Permita que seu filho encontre em ti a autoridade que ele procura no mundo em busca de sua identidade.

Na minha caminhada com Deus sempre me depararo com as correções e disciplina do Senhor para a minha vida (e as vezes acho que isso só acontece comigo, rs).
Eu acredito que esta seja uma das melhores formas de percebermos o Amor incondicional que Ele tem por nós. Ele sempre nos corrigirá, nos exortará, nos disciplinará pois Ele muito nos Amou! E muito nos Ama!

Que possamos sempre estarmos sensíveis, com nossos olhos abertos, ouvidos voltados e coração inclinado a perceber seu Amor por nós.

"Meu filho, não despreze a disciplina do Senhor
nem se magoe com a sua repreensão,
pois o Senhor disciplina a quem ama
assim como o pai faz ao filho
de quem deseja o bem" (Provérbios 3:11-12)


Para refletir: Hebreus 4 ... Eu acho que esse papo ainda continua >>

Um comentário:

Sissi disse...

Olá, passei para agradecer sua visita ao Sissi's IDEAS. Que bom que esse fio do novelo da internet nos reúne e eu espero que também seja o fio que nos une, de verdade. Superbeijo.